Por Gustavo Binenbojm
19.10.14

Direito ao esquecimento: a censura no retrovisor

Quanto vale o poder de reescrever a própria história? Afinal, é humano pensar na vida como um filme a ser editado, no qual o protagonista seria sempre o herói, e o desfecho sempre feliz.

continue lendo